Um título traz muito do que se resume no coração.

Na parashá Ekev (a palavra ekev quer dizer calcanhar) também lemos um resumo da vida de nossos antepassados no deserto, no Monte Sinai, entre outros eventos grandiosos que nosso povo experimentou pelas Mãos de Hashem.

A verdade é que desde aqueles tempos descritos em nossa Torá Sagrada até os dias de hoje, ansiamos por Hashem, por Sua relevação completa, por Sua luz imanente e transcendente.

A verdade é que cada sentimento na direção do Altíssimo nos aproxima mais Dele. Os sábios nos ensinam que estamos numa época que é chamada “calcanhares de Mashiach”. A Redenção já se entrevê pelas frestas de cada um de nós que reza com emuná de que dias grandiosos estão muito próximos, com Hashem trazendo por completo a Sua relevação de bondade e abundância.

O Rebe de Lubavitch nos ensina, em um de seus magníficos maamarim, que fazemos conexão direta com Hashem por meio de nosso amor e temor diante Dele.

Comparados a montanhas e vales, amor e temor respectivamente, mostram-se fisicamente, traduzindo assim uma relação bilateral entre a alma judia com Hashem, e vice-versa.

Aprimorando a fë

A questão é que para que Hashem Se contraia quando a alma aqui embaixo O ama e Se expanda como uma montanha quando essa mesma alma  O teme, mostra figurativamente que montanhas e vales, amor e temor, precisam ser sentidos, nutridos e aprimorados pela fé.

A conexão com Hashem, a que o Rebe se refere no Maamar, dá-se quando há uma espécie de “encaixe” entre nossos sentimentos e os do Altíssimo. Entre o amor protuberante (montanha) e temor reverente (vale) há um Único lugar (Makom), como também Hashem é descrito por nossos sábios.

Uma emuná (fé) forte tem poder de aproximação assim como pode apressar Mashiach e a Gueulá (Redenção). Se só acreditamos vendo, melhor é começar por si próprio, vendo que os próprios sentimentos – amor e temor por Hashem – é o princípio da própria revelação da Luz Infinita aqui e agora. Algo indescrítivel que a era de Mashiach trará.

Que seja agora. Não devemos nos esquecer de que estamos nos calcanhares (ekev) dele, MASHIACH TSIDIKEINU.

Em mérito de todo Am Israel.